sábado, 17 de fevereiro de 2018

Queria que você me amasse
Que me achasse linda, inteligente, interessante pra você, pra sempre pra você
Queria que você me visse como a melhor mãe para nossos filhos... e para as minhas

Queria que você não percebesse meu corpo marcado pelo tempo, pelos filhos, pela vida
Que você dividisse os sonhos comigo
E que pudéssemos formar uma família, grande, unida, forte

Queria caber no seu coração, mesmo quando eu não souber como ser minha melhor versão
Queria ser sua inspiração, quando você estiver nublado
E que você sentisse orgulho de mim, quando eu alcançasse objetivos

Queria que você me achasse proporcional à você, pequeno garoto
Que eu fosse sua grande menina
Que você visse o poema que somos juntos

Queria misturar nossas salivas, todos os dias
Queria juntar nossos amigos, e os filhos dos nossos amigos
Que o tempo te mostrasse que tudo vale à pena

Resultado de imagem para amor




quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A vida é um vai e vem, dos erros, dos medos, dos desafios. E a cada ida e vinda nos vemos diante dos mesmos conflitos. Deixar a vida seguir, fazer o que for possível, cumprir tarefas, concluir o que valer à pena, abandonar o que é em vão e deixar a vida seguir. 

Desejar que tudo aconteça conforme queremos é achar que se pode controlar tudo, todos os fatores, atores, circunstâncias, é querer atender os caprichos de um coração inseguro, que não entendeu ainda que a vida segue em conformidade e harmonia com tudo e todos. E que o mundo não é para um, mas para esse todo.

O meu conselho para mim é que eu devo fazer o meu melhor, e deixar a vida seguir.

Quantas vezes meus planos deram errado, mas o que se apresentou foi maravilhosamente melhor!

Mas não é fácil, principalmente para pessoas que se planejam, que tem o hábito (saudável por sinal) de fazer acontecer, com sede de evolução, saber perceber quando é hora de deixar a vida levar os caminhos em alguns momentos. 

Achar que pode controlar o destino todo o tempo é uma grande ilusão.

Confie nas forças do bem, plante o amor, onde fores, que a vida flui!





sábado, 20 de janeiro de 2018

O que muda?

Encontros e desencontros
Todos eles têm explicações
Não procure-as
Nada muda saber os motivos

O que muda somos nós
A cada esbarrão
Sim ou não
Então, não procure saber porque

Se você fica com as lembranças 
Se você fica com a expectativa 
Se não fica com nada
Ou quase nada

Tudo muda?
Muda o desejo da pele e da voz
Ou muda de estação... 
Para nada ter que mudar









sexta-feira, 21 de junho de 2013

Inverno

Hoje começa o inverno. O tempo passa tão rápido, tantas coisas acontecem, mudam, se aceleram... Muitas inesperadas, outras programadas e muitas improvisadas. E assim vou vivendo, nesse labirinto de ideias, nesse formigueiro de manifestações, nessa frenética busca por realizações... Eu pergunto a Deus... o que ainda conseguirei realizar, concluir, experimentar, resistir, desistir, mudar... Meu mundo de repente parece tão pequeno, mas tão intenso. Sou obrigada a esquecer pessoas, sou empurrada a aceitar definições que eu não queria. Sou obrigada a entender que me engano, me iludo por um romantismo de viver certas situações que são tão passageiras... que basta um dia, uma semana, um mês... para que tudo caia no esquecimento, mesmo que pra mim tenha permanecido.

O inverno chegou e nada está como o outono. Nada. Tudo mudou. É como o rio, nunca nos banhamos na mesma água... o rio mudou... eu mudei.

Hoje, nesse minuto em que parei meu trabalho para escrever, penso que...
Os filhos não virão...
O Brasil se perderá nas revoltas por falta de organização...
Não haverá tempo suficiente para viver o romantismo da vida, porque estou ocupada demais me reformando... e essa reforma está parada... e tudo parece um caos...
Os quadros estão abandonados...
A pequena Mei é o que me resta... e me ergue.
A primavera vai chegar e o que eu quero?




quinta-feira, 30 de maio de 2013

Tudo se vai

Ontem um amigo me disse que não importa se estamos com alguém ou sozinhos, o que importa é se estamos felizes. Eu concordo com ele. Muitas vezes estamos com alguém, mas estamos ausentes de espírito no relacionamento. O pensamento anda longe e a vontade de estar com esse alguém está diminuída. E muitas outras vezes estamos só, não temos que dar satisfação a ninguém sobre o que vamos ou não fazer, não temos o compromisso de pensar sempre no conjunto: nós, quando queremos tomar decisões. No entanto o espírito se encontra ligado a alguém. Os pensamentos sempre nos levam a esse alguém. No primeiro caso, é um estar junto, estando separado. E no segundo, é um estar só, estando junto. Eu não perguntei ao meu amigo, o que pensar sobre essa questão. Mas queria saber a opinião de alguém sensato sobre isso. Eu penso que quase tudo está sob nosso controle. Mas os sentimentos não. Pessoas querem controlar os sentimentos a todo momento. E para isso machucam o outro e a si próprio. Outro problema são os pseudosentimentos... sim eles existem! São aqueles sentimentos que apresentam todos os sintomas de "tal sentimento" mas na verdade, era outro. Às vezes eu penso que nunca amei de verdade. Foram todos pseudoamores? Penso isso porque nenhuma letra de música combina comigo...rsrsrs. Quero dizer, foi ouvindo músicas que acabei descobrindo isso. É sério, veja bem, toda letra de música que fala de saudades de um amor que já acabou, nunca se encaixa na minha vida. Eu nunca tenho saudades de um amor antigo. Na verdade o que sinto é como se ele "o amor" nunca tivesse acontecido. O que eu sinto é respeito pela pessoa, mas saudades... nenhuma. E o pior é que ouço, de pessoas diferentes, sobre a saudade do tempo em que vivemos algo juntos... eu fico me sentindo a pior pessoa por não sentir o mesmo. Aí vem essa sensação de talvez nunca ter amado verdadeiramente ninguém. E olha que o que já chorei em relacionamentos! Sou uma chorona!!!! Mas tudo passa depois. Tudo se vai. Eu me apaixono de novo... e tudo passa... sempre deixam um aprendizado, sempre! Ninguém vai sem deixar nada... só nunca o que fica, é a saudade. Será que já amei alguém?

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Corpos descartáveis


As relações podem se resumir em sensações, aquilo que na minha época chamávamos de "química".  O relacionamento físico, a intensidade e a sincronia dos corpos proporcionam ao casal um prazer com data de validade. Sim porque os desejos, quando não acompanhados de envolvimento, são perecíveis. O desejo quase sempre deixa de existir, quando encontra-se algo mais atrativo, diferente, com novo sabor. São assim as relações que chamo de "Corpos Descartáveis". 

Você deseja se relacionar com o corpo da pessoa. Mas não deseja saber nada além, saber do que realmente está no intelecto dessa pessoa, dos sentimentos dessa pessoa. E não é exagero não! Pense: quantas vezes você teve um encontro super bacana com alguém. Nos dias seguintes vocês não trocaram uma palavra. Você teve um dia super especial, porque foi promovida no trabalho, mas quem disse que o cara que vc teve a noite super bacana quer receber sua ligação para compartilhar a alegria? Ele teve um dia péssimo, porque bateram no seu carro no estacionamento e foram embora sem deixar ao menos o telefone. E quem disse que você quer receber uma ligação dele, que seja para dar uma força? Na maioria das vezes vocês nem ficam sabendo o que acontece um com o outro. A não ser pelo maior fofoqueiro do mundo: esse tal de Facebook. 

Quantas noites, quantas bocas, quanta transas, quantas vezes.... o seu Corpo se tornou Descartável? 

Eu sou adepta da reciclagem. Uso Corpos não só para o meu prazer. Reciclo para buscar os pensamentos que habitam nesse Corpo. Reciclo em busca dos sentimentos, bons e ruins... Eu vou sempre reciclar. Mesmo aqueles que preferem ser descartados, não atravessem o meu filtro! Porque vou beber no seu Corpo e depois te reciclar! Tim tim!!!


Queria que você me amasse Que me achasse linda, inteligente, interessante pra você, pra sempre pra você Queria que você me visse como a me...